sexta-feira, 21 de maio de 2010

Quer começar a dançar?


Primeiro Passo: Como achar uma escola?
Comece sua pesquisa com indicação de amigos que já fazem ou fizeram dança e podem fornecer opiniões realmente sinceras. Caso isso não funcione apele para o catálogo telefônico na sessão "Escolas de Dança". Por que? Porque você poderá vizualizar uma lista agrupada por bairros, é claro que você será sábio o suficiente para escolher alguma perto da sua casa ou trabalho, pois a desculpa para faltar nas aulas não será a distância. A mesma idéia vale para procurar na internet, refine sua busca por local pois a possibilidade de acesso é uma prioridade, principalmente se você mora numa cidade grande.

Principais critérios de escolha:
• Local
• Horário
• Preço
• O nível da aula
• O professor
A ordem do que é prioridade é você quem faz, enumere realisticamente para poder escolher com consciência.

Vá conhecer pessoalmente!
Ver um web-site ou telefonar não quer dizer muita coisa nesse assunto. Não se deixe levar por um web-site bonito, isso não tem nada ver com um ensino de qualidade! É fácil fazer uma sala parecer grande numa foto, mas vendo ao vivo você pode perceber que ela é quente ou não tem janela. E mesmo assim muitas vezes o site está desatualizado quanto a horários e no telefone a recepcionista não sabe responder sobre os níveis. Por isso cuidado, nada melhor do que ver ao vivo e entrar em contato diretamente.
• Se possível tente assistir à aula antes de se matricular – veja os alunos, como eles se comportam, como a aula evolúi, sinta o ritmo... É sempre bom ver se Ballet é sua praia mesmo ou se você está idealizando.
• Verifique o nível da aula que você pretende se matricular. Não se engane, se você é Iniciante não entre numa aula de nível Intermediário logo de cara.
• Também se informe sobre seu professor, tente conversar com ele(a) e veja se ele(a) é especializado no ensino de adultos, se for melhor ainda! Um bom professor não ensina apenas, mas saber te entender e incentivar a crescer.

Instalações
Um bom ensino é prioritário à beleza ou luxo do ambiente, mas note as instalações e a energia do local: Como são as salas aulas? Tem que ter no mínimo o básico: som, barra e espelho. Aproveite e note as condições gerais. O chão da sala está quebrado ou tem infiltrações nas paredes? Percorra a escola: tem vestiários adequados? E lanchonete ? Tem biblioteca/videoteca? Pergunte tudo!

Escola x Estúdio e Curso Regular x Curso Livre
A principal diferença é que os estúdios trabalham no esquema de cursos livres, e são bem mais flexíveis no ensino, nos níveis e no ritmo das aulas, além é claro de aceitarem adultos, sem limite de idade e nível de conhecimento. Em sua maioria, não tem uniforme, provas, notas ou uma rigidez maior quanto às faltas. Funcionam praticamente o ano todo e fecham apenas 1 mês por ano para férias, em geral as aulas perdidas podem ser repostas.
Já as escolas de dança, trabalham com cursos regulares, profissionalizantes ou de formação. Tem um programa de ensino fixo, dividido em anos (1º a 8º) com provas, notas, médias, exame de final de ano para passar e recuperação. Se você não tiver uma nota suficientemente boa de acordo com as regras estabelecidas você pode repetir de ano. O calendário letivo obedece ao de uma escola também, janeiro e julho são meses de férias sem aulas, porém são pagos normalmente, e dezembro é praticamente dedicado aos ensaios, espetáculos, provas, festinhas e fechamento do ano. Nessas instituições as palavras 'tradição' e 'virtuosismo' serão ouvidas muitas vezes. Em geral as escolas aceitam apenas crianças, de até 13 anos para cursarem suas aulas e o ano letivo começa em 1/fevereiro. Porém há algumas escolas particulares que são exceções e abrem o curso de formação para adolescentes e adultos.

Aula na L' ecole de Ballet Opera de Paris, uma das instituições mais tradicionais na formação de bailarinos.

Exemplo de aula em um estúdio, mais despojada.



Conteúdo e duração
Normalmente tem muita matéria para se trabalhar nas aulas: aquecimento, barra, centro, alongamento e aberturas, pontas (para mulheres), coreografia e repertório, consciência corporal, anatomia, nomenclatura... particularmente adoro trazer novidades e encher as aulas com exercícios extras de força, postura, chão e en-dehors, além de pedir que os alunos visitem exposições, assistam espetáculos em atividades extra-curriculares.
Por esse motivo eu digo, procure aulas que tenham 1 hora e meia de duração, pois menos que isso é muito pouco para trabalhar tanta coisa.

Quantas aulas por semana?
Ballet é prática e para haver algum aproveitamento e crescimento são necessárias 2 aulas por semana, nunca menos que isso. Ou seja, se você pensa em crescer técnicamente, ganhar força, postura, alongamento, dançar no final do ano e mesmo avançar de nível, e para mulheres conseguir chegar às pontas.
Nos cursos de formação ou profissionalizantes são de 3 a 6 aulas por semana, depende do ano e da tradição escola. Nesse caso as matérias são separadas: barra e centro, pontas, repertório, coreografia ou ensaio, pas de deux e por aí vai.
Só faça aula 1 vez por semana se o ballet for uma atividade com pouca pretensão para você, pois realmente o mínimo de prática vai lhe oferecer o mínimo de crescimento.
Mas também tenha em mente que tudo tem que estar de acordo com sua disponibilidade, seu bolso e seus objetivos.

E quanto custa fazer aulas?
O preço é bem variável e depende da cidade, do bairro onde a escola está, o porte das instalações e a tradição do ensino. Infelizmente só posso mencionar números baseado em São Paulo/SP que é onde eu vivo, faço aulas e trabalho. Em média é possível encontrar mensalidades de R$ 140, a R$ 180 num curso livre com 2 aulas na semana. Um curso de formação não custa menos de R$ 260 com 3 aulas por semana, e vai até R$ 500 com 6 aulas por semana. Quem faz aulas particulares (individuais) chega a gastar de R$ 70 a R$ 100 por hora de aula, depende do professor escolhido.
Bom, verifique tudo cuidadosamente antes de começar nas aulas, pois a maioria dos estabelecimentos também cobra uma taxa de matrícula, que pode ser anual ou vitalícia. E fique bem atento ao assinar qualquer contrato e veja cuidadosamente qual a política para faltas, reposições, aulas extras, meses de férias, feriados e emendas, multas por atraso pois eventualmente "taxas ocultas" podem aparecer.
Por todos esses motivos: pesquise! Como tudo na vida, há muita variação de preços no mercado. Visite o maior número de escolas para poder comparar e esteja atento para ver os prós, contras e diferenciais que cada local pode lhe oferecer.

Não quero ou não posso gastar muito...
Ah sim, tem uma alternativa que é temporária, não é o ideal, mas é melhor do que nada: oficinas gratuitas ou semi-gratuitas, de curta duração. Alguns locais que conheço em São Paulo e oferecem cursos assim são: Escola Municipal de Bailado, CCSP, SESC, Oficinas Culturais do Estado, CCJ e na Universidade Anhembi Morumbi. Fique atendo a programação e entre em contato para saber qual a época de inscrição, aproveite e informe-se também sobre os critérios de escolha dos candidatos, que costumam mudar esporadicamente. Por exemplo, esse semestre no CCSP pra entrar em qualquer curso pedem que o candidato já tenha experiência em dança, e isso é verificado logo no primeiro dia quando o candidato chega para participar da aula-audição, ou seja: alunos de nível iniciante não vão se dar muito bem, nem adianta mentir na ficha de inscrição.

Bolsas de Estudo
É muito raro encontrar escolas que dão bolsas, princiaplemente se for para mulheres, para adultas e para iniciantes — que são quem realmente mantém uma escola funcionando, no aspecto comercial. Preconceito? Não, a coisa funciona mais ou menos assim, para uma escola dar bolsa, seja ela total, um desconto ou parcial (semi-gratuidade) é necessário que a escola tenha a disponibilidade (ou o interesse) em investir em ter consigo determinado aluno. E quais seriam os motivos para isso? Da escola ver no aluno um futuro potencial na dança. Nesse ponto é preciso notar que o aluno é muito jovem e/ou um talento claramente perceptível (com uma boa técnica ou um corpo bastante apropriado para a construção dela). Ou então por ser homem, calma, explico abaixo.
Em geral é legal ir conhecer a escola onde quer pedir bolsa, conversar como diretor ou mesmo ter uma indicação de alguém, antes de sair pedindo a bolsa. Lembrando que ter uma bolsa de estudos é uma exclusividade para poucos e tem restrições e responsabilidades.
Quem tem bolsa não pode faltar nas aulas nem ensaios, deve estar pronto para o que der e vier e se dedicar bastante. Afinal, a escola e os professores estão investindo em você, dando conhecimento de graça , e pense, quanta gente gostaria de estar no seu lugar! Se você tiver conquistado essa oportunidade dê muito valor!

Bolsas masculinas
Muitas escolas dão bolsas para eles, só homens, não só em São Paulo, mas essa prática acontece no Brasil todo. Sim, sim. Isso acontece por diversos motivos, primeiro devido ao preconceito no Brasil a procura masculina pelo ballet é pouca, segundo, como as escolas precisam de homens para compor o elenco dos seus espetáculos, pas-de-deux e levar suas coreografias para campeonatos os homens são muito necessários (afinal Ballet é unisex). Sorte dos que querem dançar!

Mais do que o exercício de cada aula dançar é arte
Que eu saiba praticamente todas as escolas de dança dão aos seus alunos a chance de participarem de montagens no final do ano, algumas fazem no meio do ano e em eventos ou datas especiais também.
A coreografia é um estudo prático de dança e é muito importante os alunos usufruirem dessa experiência artística, afinal é para isso que a dança existe, ser mostrada, exercitada, experiênciada por quem a pratica, não importa o nível técnico.
Somente nos espetáculos o elo se fecha: a prática cênica com todos os seus elementos, figurino, música, maquiagem, palco e público. É lá que o aluno mostra o que aprendeu e porquê aprendeu. Sua expressividade, comunicação e fisicalidade não estão ali para serem julgados, e sim apreciados como parte de seu auto-conhecimento e crescimento.


O que aprendi com minha vivência
Sempre defendi que um ensino de qualidade é fundamental e não deixa de ser um investimento em si próprio, mesmo que você não queira tornar-se profissional. Para mim pouco importa quanto isso custe pois é uma prioridade, principalmente quando lembramos que estamos lidando com nossos corpos e almas, e ambos podem ser lesionados durante o processo de aprendizagem.
Aprender Ballet leva tempo, todos os nomes dos passos são ditos em Francês, há muitos detalhes na técnica, a construção é lenta, baseada em repetição e correções pessoais onde tem que haver dedicação, paciência, amor e estudo por parte do aluno praticante. E nem por isso deixa de ser uma atividade extremamente prazerosa.
Como tudo na vida, vai haver dias que a aula está péssima, que o corpo não responde, que estamos de mal humor, porém na grande maioria dançamos tanto, a aula flúi, temos colegas legais, aprendemos coisas novas e tudo vai bem.

Esculpir sem pular etapas
A fase mais importante é com certeza o início dos estudos, quando começamos no nível 'Iniciante', ou a fase de restruturação corporal. Lá aprendemos sobre nosso corpo, a sentir, olhar e ouvir ele, como as partes funcionam e se movimentam, conheçemos o espaço, as direções, dinâmicas e fluxos de energia, não são apenas passos! Essa fase vai dar ao aluno praticante a base para crescer técnicamente, por isso é tão lenta e detalhada, um período de preparação para o que vai vir. Tenha calma e saiba que a escolha de um bom profissional responsável (professor) fará toda a diferença.
E até onde é possível chegar? Isso só a prática e o tempo vão determinar, mas com certeza posso afirmar que o caminho por si só já vale a pena.

Mais alguns detalhes
• No fim se a gente parar, pensar, pesar e escolher veremos que não existe uma escola ideal, sempre há algum defeito e também coisas especiais para nos manter atrelados à tal ou tal lugar. Ás vezes nossos objetivos mudam (é normal) e mudar de escola também pode ser uma etapa do aprendizado.
Importante: se tiver uma lesão, uma condição especial de saúde, fazer uso de algum medicamento ou ter feito uma cirurgia avise seu professor antes de começar sua primeira aula! Ballet é uma atividade bem mais intensa do que parece.
Ah e o que vestir? Muitas escolas adotam uniforme mas não todas, informe-se antes. Veja algumas idéias do que vestir nas aulas aqui.
Leia mais sobre Aulas para Adultos neste blog. Artigos aqui e aqui, e metodologia aqui.
E acredite, vai dar tudo certo! Boa sorte.

11 comentários:

  1. Nossaaaa.......
    Perfect. Completo. Melhor Impossivel !!

    Adorei a primeira foto....hahaha
    vou indicar esse post a varias pessoas que querem começar a dançar.

    bjs...Anaa....^^

    ResponderExcluir
  2. Muuuuuuuuuito bom o post, Ana. Adorei! E agora eu aprendi a diferença entre estúdio e escola. =) Achava que era a mesma coisa, hehehe.

    Grande beijo.

    ResponderExcluir
  3. É tem coisas q parecem óbvias pra gente mas não pra quem é novo na dança. Ah se eu tivesse algo assim quando eu comecei... faria toda a diferença. Obrigada lindonas!! Bjs

    ResponderExcluir
  4. Dicas valiosissimas Ana, parabéns.

    "Ah se eu tivesse algo assim quando eu comecei..."

    E eu digo o mesmo, rs

    ResponderExcluir
  5. Olá... eu comecei ballet depois de grande tbm, com 20 anos, tive que parar devido ao trabalho e faculdade simultaneamente, mas nesse segundo semestre recomeçarei, e estou partindo desde o princípio, procurando escola, indo conhecer os lugares e etc, etc... Confesso que eu estava me deixando levar pelo nome da escola, mas depois de ler esse post irei colocar tudo na balança.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Gente, a idéia do texto é achar a escola que cada um se identifique mais.
    Claro que não há um local "perfeito", ou é caro, ou longe ou ainda combina um professor legal mas um ambiente ruim.
    Pode ser... tudo é uma combinação de fatores e prioridades do momento, tem que pesar.
    Desde que as escolhas sejam conscientes e que sempre tenha em mente que podemos abrir mão de certas coisas para termos outras.
    Eu escrevi exatamente por ter tido dificuldade de critérios para achar um lugar bacana logo no início dos estudos.
    Bati cabeça por aí, o que tb é bacana, conhecer lugares, pessoas, estilos, trabalhos, opiniões – fui aluna nômade até me fincar numa escola.
    Não indico ou deixo de indicar nenhum lugar especifico, pois cada um deve(ria) saber o que é bom para si, ou ao menos pensar nisso.
    Bjs a todos!

    ResponderExcluir
  7. muito lefal
    gosto das fotos de dança..

    te mais

    ResponderExcluir
  8. Ana ... por favor .... vc sabe de alguma que ofereça bolsa de estudo masculina???

    ResponderExcluir
  9. Queria muito uma bolsa pois não tenho condições de pagar uma escola to atrás de uma boa e barata mas eu nn acho 💔 pois sei pouco das escola de ballet aqui em SP eu procuro aprender pelo YouTube mas não é a mesma coisa neh 💔

    ResponderExcluir
  10. Eu quero muito aprender ballet clássico mas eu não acha aqui em SP um bom e barato pq eu sei pouco das escolas daqui eu queria tanto ganhar uma bolsa mas enquanto isso não acontece eu tento aprender sozinha mas nn é a mesma coisa neh 💔

    ResponderExcluir

Obrigado por deixar seu comentário!